6 de jul de 2014

Sonoridade peculiar com letras inteligentes e melodia marcante. Tais características ajudam a traduzir um pouco do que é o trabalho da banda Reine Sobre Mim. Composta por Marvyn Izel, Bruno Borja, Marlon Izel, Ruan Ramos, Leonardo Lemos e Leandro Soares, ela faz parte do cenário underground carioca desde o início do ano.


Tudo começou em meados de 2012, com o objetivo de ser um projeto solo, idealizado por Marvyn. A ideia foi tomando proporções de banda e, em fevereiro de 2014, surge a Reine Sobre Mim. “Quando percebi a dimensão das canções, achei mais pertinente criar um grupo, onde poderia explorar meus pensamentos ideológicas nas letras e ter o auxílio de bons músicos para a criação das canções. Produzindo, dessa forma, um som característico, inato ao projeto”, explica o guitarrista, arranjador, compositor e letrista da banda.  

Com a mudanças, foi preciso pensar em uma forma de nomear o projeto. Encontrar a expressão que defina perfeitamente tudo o que está por trás de uma banda, suas ideologias e visões, não é uma tarefa fácil. Após muita procura, o nome ideal surgiu. Ao ouvir “Love, Reign O'er Me”, do The Who, um desconforto foi criado em Marvyn, pelo que é proposto pelos britânicos no refrão, que diz “Love, Reign o'ver me; love, reign o'ver me, rain on me” (Amor, reine sobre mim; amor, reine sobre mim, chova sobre mim).

Uma interrogação surgiu na mente do músico e fez com que ele escolhesse o trecho da canção dos roqueiros ingleses. “Quem eu quero que reine no Reino de mim? Quem eu deixo reger este regime? Amor, dor, compaixão, religião, ganância, desdém, enfim, quem reina sobre mim? O nome vem dessa questão e nós tentamos auxiliar do nosso modo para que o ouvinte conhece o candidato, o suplente e o regente de seu próprio reino”.
Apresentação no Saloon 79, na Zona Sul carioca

A influência do The Who foi fundamental, mas também existem muitas outras, que fazem parte de tudo o que os integrantes costumam ouvir. Jethro Tull, Rush, David Bowie, Queen, Mutantes, Novos Baianos, Pink Floyd, Bob Dylan, Cat Stevens, Jim Croce, Chico Buarque, Zé Ramalho, Angra e Rhapsody são algumas daquelas que a banda tem como base para fazer suas próprias canções.

Entre elas, está “Algozes do legado de Zworykin”, que mostra a mídia moldando uma sociedade e seus cidadãos. “Ela descreve a mídia como um inimigo astuto, perigoso e eficaz, que usa de forma inteligente sua influência para propor conceitos e ciar comportamentos que sejam pertinentes à sua própria verdade”, conta o compositor que afirma a existência de muitas bandas boas no meio underground.

Atualmente banda está preparando seu primeiro EP, intitulado “Reine Sobre Mim”, que tem previsão de lançamento para o fim deste ano. Além disso, Marvyn, Bruno, Marlon, Ruan, Leonardo e Leandro se apresentam em diferentes pontos da cidade. Que tal marcar presença nos eventos para conhecer de perto o trabalho dos músicos?

Agenda:
06/07 – Botecando.com, 18h (Estrada do Campinho, 25 – Campo Grande)
08/08 – Planet Music, 20h (Av. Ernani Cardoso, 66 – Cascadura)


 Reine Sobre Mim nas redes sociais: